segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Insônia


Hoje é uma daquelas noites em que o sono me fugiu e não consigo encontrá-lo. Não que seja frequente, mas às vezes eu experimento essas situações que não chegam a caracterizar uma insônia real, mas apenas alguns distúrbios eventuais de sono. Fico rolando na cama, tentando relaxar, mas é inútil. E isso independe do cansaço do dia ou das atividades cotidianas.

É nessas horas que muitas vezes me vêm os pensamentos mais eróticos. Muita gente os têm durante os sonhos; eu os tenho com frequência antes de dormir. Ou de tentar dormir, o que é o mais comum. Isso me afasta ainda mais do sono e faz minha imaginação viajar.

E os pensamentos são diversos. Ora fantasio que estou em bondage, ora fantasio que algum homem (conhecido ou desconhecido) me imobiliza; ora me imagino fazendo sexo (novamente, com algum conhecido ou desconhecido), das maneiras mais diversas à mais convencional. Recordo cenas de vídeos eróticos que me atraíram ou de filmes do passado; me imagino no lugar das atrizes ou crio meus próprios enredos. Já cheguei a imaginar roteiros de filmes inteiros em noites insones que, se eu fosse milionária, certamente os produziria. Até em catfight já me imaginei.

Falando nisso, numa dessas noites em que o sono ingrato me escapou, lembrei-me de certa ocasião em que eu e um namorado voltávamos da piscina e entramos no quarto dele para tomar banho. Ele resolveu tirar a sunga no quarto mesmo, antes de entrar no banheiro, e num segundo contemplei seu belo corpo de costas, se mexendo. Não sei o que me deu, mas decidi rapidamente tirar os lacinhos do biquíni e enquanto ele se andava em direção ao banheiro, pulei nas costas dele e abracei seu pescoço. Ele ficou obviamente surpreso, quase caiu e achou que eu quisesse sexo, mas então eu mordi sua orelha e sussurrei: "vamos lutar?"

Ele riu, mas entrou na brincadeira e acabamos no chão. Totalmente nus, simulamos "triângulos", "estrangulamentos", "kimura" e uns poucos golpes do parco repertório de Jiu Jitsu que eu conhecia. O roçar dos nossos corpos ainda um pouco molhados me deixou super excitada e depois de algum tempo ele também ficou visivelmente empolgado, a ponto de exibir uma ereção considerável. Depois de me imobilizar numa "montada", já quase pronto para a ação, eu pedi a ele: "vira de costas". Ele obedeceu e eu sentei nele, na posição cowgirl (uma das minhas favoritas). Eu já estava tão excitada que nem pensei em preliminares, sexo oral ou nada que não fosse sexo puro e simples. Foi maravilhoso e terminamos esgotados, a ponto de demorar a tomarmos banho.

Tudo isso eu lembrei com detalhes numa noite de insônia. Nem preciso dizer que ao recordar essa "luta erótica" eu fiquei completamente molhada. E perdi o sono pelo resto da noite. O pior é no dia seguinte sair para trabalhar morta de cansaço, tendo que disfarçar as olheiras com maquiagem, como se nada tivesse acontecido. Vestir a roupa de trabalho e partir para mais uma jornada profissional, depois de ter tido os pensamentos mais sensuais possíveis, é uma arte que domino com perfeição. 



Um comentário:

Erotismo e Tesão disse...

Foi uma ótima noite de insônia.